Tempestade solar na próxima década pode deixar o mundo na escuridão

por Nandy 15 dez 2015 - 01h 48
286 visualizações

Do mesmo modo que o sol nos dá a possibilidade de viver, ele também pode causar vários danos no planeta Terra, e isso se dá através de tempestades solares, e adivinha: durante a próxima década, é possível que uma das maiores delas já registradas atinja a Terra, causando um enorme prejuízo em todos os países do mundo. A última delas ocorreu há 150 anos atrás e ficou conhecida como o Evento Carrington.

A chance aparentemente é baixa de sermos atingidos, cerca de 12%, mas, em termos astronômicos, essa chance é muito alta, e para se ter uma ideia de sua força, ela poderá causar um prejuízo em danos no valor de 9 trilhões de dólares. Somente nos EUA. Se isso realmente acontecer, a estimativa para a recuperação total do país é de dez anos, agora, imagine para os países pobres.

Isso acontece porque o sol possui um ciclo de 11 anos, em que ele aumenta e diminui sua atividade, e é justamente quando ele está no auge dela que ele produz redemoinhos magnéticos que acabam se desprendendo de sua superfície e migrando pelo sistema solar até se chocar contra alguma superfície.

Vale lembrar que isso tudo é uma estimativa, baseada em cálculos e estatísticas coletadas ao longo dos anos pelo Predictive Science em  San Diego, California.

Diversas tempestades solares atingem a Terra todos os dias, mas elas são de muito baixa intensidade, tanto que por causa delas temos as auroras boreais. Essas tempestades mexem com o campo magnética da Terra, por terem partículas intensamente carregadas, dependendo de sua intensidade, elas podem causar danos e interferir em toda a comunicação por rádio da Terra, bem como afetar satélites que nos proporcionam o serviço de GPS, sem falar na queda de eletricidade, o que iria causar uma espécie de apagão global.

Claro, esse cenário é no pior dos casos, é por isso que muitos países já começaram a se preparar através do armazenamento de energia em lugares que tem muita pouca chance de serem atingidos pelo evento, que será medidos através de satélites que irão medir a força e a orientação do evento solar.

Siga nas redes:

Facebook: Nandy Martins

Instagram: @nandy_martins

Viu algum erro ou gostaria de adicionar uma sugestão para atualizarmos esta matéria? Colabore com o autor clicando aqui!
Comentários
Logo @AcreditaNisso