Top 5 dos melhores jogadores de pôquer de todos os tempos

por nandatw 24 fev 2017 - 06h 49
787 visualizações

Pôquer é um jogo com cada vez mais fama e fãs um pouco por todo o mundo. Esse crescimento se deu praticamente com a virada do milénio e com o boom dos casinos online.

Por isso, vários jogadores foram surgindo no panorama mundial e todos os dias existem milhões de jogadores tentando sua sorte para serem a próxima estrela do pôquer. Cada dia que passa surgem novos profissionais, contudo, para se tornar uma lenda nesse meio é necessário muito mais do que ser apenas profissional, o que, apenas para chegar lá já é necessário ser mais que a maioria dos entusiastas do jogo.

O pôquer, ao contrário do que muita gente pensa, é um jogo que não é nem de sorte nem de azar mas sim um jogo que requer conhecimento, estratégia, disciplina e muita observação. E por isso é que existem tantos profissionais que aprenderam a minimizar as vezes que perdem e as quantias perdidas, bem como, maximizando as quantias e partidas ganhas. Ainda assim e mesmo com muita dedicação para ser considerado lendário é necessário ter um talento ou dom natural para o jogo e uma capacidade muito acima da média.

Stu Ungar
Nova Iorquino de origem simples, se fixou em Las Vegas na década de 70 e rapidamente se envolveu com o pôquer. Vários especialistas e gerentes de casinos disseram que nunca viram ninguém aprender o jogo tão rápido quando Ungar. Em 1980 se tornou no mais jovem vencedor do World Series of Poker e defendeu o seu título no ano seguinte. Ficou conhecido como “The Kid” pela sua idade e tem um recorde sem igual no mundo do pôquer: é o único jogador que venceu o WSOP e a SuperBowl of Poker Main Events três vezes cada combinando diversos gêneros de pôquer. Um potencial que jogava com uma paixão e criatividade muito à frente do seu tempo e que precocemente foi encontrado morto, sucumbindo aos devaneios de Vegas.

Chip Reese
Quase que passou ao lado da imortalidade no pôquer: a caminho da universidade de Stanford em 74, ele parou em Vegas por um final de semana para umas partidas de entrada baixa. Começou com cerca de $400 e 2 dias depois tinha mais de $60000 e claro que isso significou um adeus à advocacia e um olá ao pôquer. Na universidade, que eventualmente chegou a frequentar, ganhou tanto dinheiro dos outros estudantes que deram o seu nome à sala de jogos de cartas. Pelo meio da década de 70 se sediou em Vegas e rapidamente ganhou a reputação de um dos melhores jogadores fazendo dinheiro em toda a cidade. Venceu 3 braceletes WSOP e ficou tão conceituado e respeitado que no casino Dunes lhe pediram para gerir o seu salão de carteado. Com 40 anos foi o mais novo nomeado para o Poker Hall of Fame. Faleceu em 2007 com 56 anos sendo um dos maiores ícones do pôquer.

Phil Ivey
Apesar de ainda novo no reinado do pôquer é já considerado uma das lendas do jogo em virtude das conquistas e dos prêmios que conquistou na última década. Aprendeu a jogar na década de 90 em Atlantic City e aprendeu jogando e perdendo dinheiro para os grandes jogadores que por lá jogavam. Conseguiu melhorar o seu jogo de forma significativa e levou-o para Vegas onde conquistou a sua primeira WSOP bracelete em 2000. Juntou mais 7 braceletes a essa conquista e se tornou o mais jovem e rápido jogador a chegar a essa quantidade. Ele joga tanto online como fisicamente e conquistou alguns dos torneios com mais dinheiro da história do pôquer e isso tudo em diferentes estilos de pôquer também – um verdadeiro talento.

Johnny Moss
É mais conhecido pelo seu papel na criação do WSOP em 1970 como a maior extravagancia de pôquer no mundo. Quando o torneio passou a ter um formato em que o vencedor ganha tudo em 1971 foi o primeiro vencedor. No total, conquistou 9 braceletes de primeiro lugar e foi o jogador WSOP mais bem-sucedido da década de 1970 que tinha outras lendas em atividade. Continuou a jogar em torneios de pôquer até falecer com 88 anos em 1995.

Doyle Brunson
Como cartão de visita Doyle é conhecido como o padrinho do pôquer. Com talento para ser jogador de basquete e velocista uma lesão acabou com seus sonhos de atleta profissional. Teve uma breve experiência como vendedor mas rapidamente se apercebeu que poderia ganhar muito mais dinheiro jogando e então se dedicou ao pôquer a tempo inteiro.
Se mudou para Vegas no início da década de 1970 para participar no WSOP e nos 35 anos que se seguiram ele ganhou 10 braceletes de primeiro lugar em diversas variações de pôquer. Além do seu sucesso no WSOP ele ainda venceu um World Poker Tour em 2004. Em 1979 publicou o livro “Super/Sistema ou como fiz mais de 1 Milhão USD jogando Pôquer” que foi um dos primeiros guias institucionais do pôquer onde Brunson aconselhava os jogadores a optarem por um estilo de jogo agressivo. Por tudo isso, e por ter acompanhado o pôquer com todas as suas transformações, Doyle é talvez a cara mais famosa do pôquer.

Viu algum erro ou gostaria de adicionar uma sugestão para atualizarmos esta matéria? Colabore com o autor clicando aqui!
Comentários
Logo @AcreditaNisso