in ,

Por que fazer álcool em gel caseiro pode ser perigoso?

Com a pandemia do Coronavírus, veio também o pânico nas pessoas. Em meio ao medo, muitas saíram em busca de um item considerado precioso hoje em dia, o famoso álcool em gel, o que ocasionou a falta do produto na grande maioria dos lugares. Quem conseguiu comprar ou já tinha em casa, pode se considerar uma pessoa de sorte. Além da falta, para quem encontrou, também teve o susto do preço, que estava super salgado para o nosso bolso (pela famosa lei da oferta e da procura). Algumas farmácias e supermercados, inclusive, fizeram um sistema de lista de espera para quem não conseguiu comprar o produto.

Em virtude de tudo isso, muita gente acabou recorrendo a internet para procurar uma forma de conseguir o produto sem gastar milhões. Dessa forma, começaram a surgir muitas receitas caseiras para a gente produzir o nosso próprio álcool gel em casa. No entanto, o que a maioria não sabe, é que fazer o seu álcool em gel caseiro pode ser um verdadeiro tiro no pé, pois, além de ser perigoso para a nossa saúde, ao invés de não proteger contra o coronavírus, ele pode até potencializar a ação do vírus.

Nessas receitas caseiras, normalmente é usado o álcool líquido (aquele de cozinha mesmo) como base. Segundo o CFQ (Conselho Federal de Química), manusear o álcool em grandes concentrações, pode causar terríveis acidentes, que podem ser desde irritação da pele até incêndios mais graves.

Mesmo parecendo ser simples, o processo de se fazer o álcool em gel em casa, não é tão simples assim. O famoso álcool em gel que é vendido nas farmácias, passa por diversos testes onde verificam a concentração de álcool além de outras variáveis importantes, todas estabelecidas por pesquisas que testam a eficácia do produto contra os vírus.

Dessa forma, como o álcool gel caseiro não segue essas regras de testes, não se prova a garantia de que o produto elimine mesmo o coronavírus. E, como foi dito acima, ele pode fazer, inclusive, o papel oposto. Segundo o CFQ, dependendo do que se utiliza como espessante, ao invés dos microorganismos serem eliminados, eles podem ter a sua proliferação potencializada.

Outro ponto que muito se fala é na % importante. É ideal que a concentração seja 70% para a melhor eficácia na eliminação do vírus. Quanto maior a concentração, mais rápido evaporam, e, dessa forma, não dá tempo de matar os micróbios. Além disso, é preciso que a solução tenha uma quantidade de água, que ajuda a dar um empurrãozinho para o álcool conseguir entrar na célula e matar o patógeno.

Mas então, qual seria a solução para combater o vírus sem o álcool gel? NENHUMA. Basta lavar sempre as mãos com água e sabão.

O álcool em gel é indicado apenas para eventuais saídas, na ausência de um local para higienizar as mãos. Mas, como a recomendação é ficar em casa, não tem porque você precisar do álcool em gel, não é verdade?!

Written by nandatw

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *